Studio 7.5

Escritório/Estúdio

Berlim, Alemanha

Studio 7.5

Quando Burkhard Schmitz, Claudia Plikat, Nicolai Neubert e Carola Zwick fundaram o Studio 7.5 em Berlin, Alemanha, eles buscavam liberdade para trabalhar em projetos que lhes interessassem, livre de regras, funções e títulos.

E é exatamente assim que eles têm atuado desde então. "Não há chefes aqui", diz o grupo, que agora também inclui o irmão de Carola, Roland. Preferindo ser ouvidos como uma voz única, continuam, "Todo mundo faz de tudo. É assim que cultivamos idéias e mantemos nossa franqueza e curiosidade".

Quando começaram a sociedade em 1992, logo após a unificação da Alemanha, era extremamente difícil encontrar um espaço comercial em Berlin, então eles pensaram em seguir por uma outra rota, mais livre: alugar um caminhão de 7,5 toneladas que não exigisse nenhuma licença especial para ser dirigido. "Achávamos que poderíamos colocar nossa empresa nele e dirigir do local de um projeto para outro", eles explicam. E assim surgiu o nome "Studio 7.5". E embora, de fato, eles não façam isso—afinal, eles conseguiram um espaço comercial—o nome permaneceu.

Quando projeta produtos para clientes, o Studio 7.5 move-se rápida e habilmente também, progredindo do estágio de conceito para o molde de loja, às vezes em apenas um ou dois dias, quando eles começam a criar os esboços de protótipos da "coisa", independentemente do que seja.

E se soltam como crianças brincando com argila, a atividade favorita do grupo.

"Você realmente tem que trabalhar em três dimensões quando projeta produtos", afirmam, "assim não precisamos gastar muito tempo com elaborados desenhos em perspectiva. Desenhos feitos por computador não expressam a sensação, o tato, o aroma".

E quando surgem os desentendimentos—como eles devem certamente surgir em tal esforço colaborativo—quem tem a palavra final? "Nós discutimos o assunto e sempre tentamos deixar a melhor idéia prevalecer", eles explicam. "Você pode até achar que seja complicado com quatro ou cinco pessoas, mas se temos duas pessoas em um desentendimento, as outras podem ser os árbitros que dizem, 'Sabe, eu acho que ela está certa' ou 'eu acho que ele está certo'. Então fica realmente mais fácil porque você tem mais pontos de vista".

Uma coisa com que todos eles concordam: adoram projetar mobília. "O que é mais interessante sobre projetar mobília em comparação, digamos, com um gravador, é que o designer que projeta o gravador vem por último na cadeia de comando. É apenas o embelezamento ou a 'roupagem'. Com a mobília, é muito mais holístico".

Eles acreditam que projetar detalhadamente cadeiras para escritório é o mais gratificante. "Definimos não apenas sua aparência, mas também o seu funcionamento, até as características da inclinação. Envolvemos-nos muito com seu comportamento físico, porque beleza não é apenas o que você vê, é também o que você sente".

A alegria que o grupo deriva de seu trabalho é óbvia. Como Burkhard, Nicolai e Carola, que também são professores universitários, contam para seus alunos, "Se você quiser ficar rico, vá trabalhar em um banco. Se você quiser ficar famoso, vá roubar um banco. Mas se criar coisas é divertido para você, torne-se um designer e você será um rei. É a melhor profissão do mundo".

Especialmente quando você tem a liberdade para fazer do seu jeito.