George Nelson

Prêmios/Reconhecimento

Permanent collections of the Museum of Modern Art, Brooklyn Museum of Art, Philadelphia Museum of Art
1991 Lifetime Achievement Award, American Institute of Graphic Arts
1984 Scholar in Residence, Smithsonian Institution National Museum of Design
1965, 1982 Chairman, International Design Conference in Aspen
1954 Good Design Award, Museum of Modern Art
1954 Trailblazer Award, National Home Furnishings League
1953 Best Office of the Year, New York Times
1953 Gold Medal, Art Directors Club of New York
1932 Prix de Rome for architecture

George Nelson

Ao escrever sobre a trajetória de sua extraordinária carreira de mais de 50 anos, George Nelson descreveu uma série de "lampejos" criativos—momentos de inspiração repentina “quando um único indivíduo descobre que está conectado a uma realidade que jamais sonhara”.

Um dos primeiros lampejos ocorreu nos anos 30, quando ele era um aluno de arquitetura em Roma. Antes de voltar para casa, uma idéia lhe ocorreu: Ele viajaria pela Europa e entrevistaria os principais arquitetos modernos na esperança de publicar os artigos nos EUA. Ele conseguiu, e no processo apresentou a comunidade de design americana à vanguarda européia. Isso deu início a uma seqüência do que ele chama de oportunidades “de ouro” de carreira, que eram nada mais do que o efeito inevitável de seu brilho como designer, professor e autor.

A primeira oportunidade surgiu ao ser nomeado editor da revista Architectural Forum. Em 1942, ali trabalhando em uma história, ele ficava olhando fotos aéreas de cidades arruinadas quando- clique!—ele desenvolveu o conceito dos shopping-centers urbanos, que foi revelado no Saturday Evening Post.

Logo depois, outro lampejo levou ao Armário Embutido, o primeiro sistema de armazenagem modular e o precursor dos sistemas de mobília. O Armário Embutido foi apresentado pela primeira vez em um artigo de 1945 da revista Life, causando uma sensação na indústria mobiliária. O fundador da Herman Miller, D.J. DePree, viu o artigo e ficou tão impressionado que fez uma visita a Nelson em Nova York e o convenceu a ser seu diretor de design, o que estimulou Nelson a fundar sua empresa de design, George Nelson & Associates. A cordial relação pessoal e profissional entre Nelson e DePree rendeu uma linha formidável de produtos, desde o divertido Marshmallow Sofa até a primeira mesa em formado de “L”, a precursora das estações de trabalho atuais.

Nelson certa vez escreveu que a Herman Miller "não brinca de siga-o-líder". Esse é um dos motivos pelo qual George Nelson & Associates trabalhou com a Herman Miller por mais de 25 anos e juntos conduziram o design à era moderna.

Durante este mesmo período, George Nelson & Associates também criou muitos marcos do design de produtos, show rooms e exposições para uma variedade de companhias e organizações.

Nelson disse que para um designer lidar produtivamente com as necessidades humanas, "ele deve fazer primeiro uma radical e consciente ruptura de todos os valores que identifica como anti-humanos". Designers também devem constantemente ficar atentos às conseqüências de suas ações em relação às pessoas e à sociedade. De fato, ele declarou que "o design como um todo não é nada além do que um processo de relacionar tudo a tudo". Assim, ele disse que em vez de especialização, os designers devem cultivar uma ampla base de conhecimento e entendimento.

Nelson fez isso como poucos são capazes, e, com a ajuda de lampejos oportunos, ajudou a definir o design moderno e humano.