Brian Kane

Escritório/Estúdio

Estúdio Kane Design
São Francisco, Califórnia

Prêmios/Reconhecimento

Prêmio IDEA (Industrial Designers Society of America - IDSA)
1984 Coleção Cadeira de Borracha
1988 Coleção Manhattan (Metro)
1990 Coleção Pacifica Lounge (Metro)
1994 Showroom (Wieland)
1995 Exibição (Landscapeforms)
1997 Cadeira Xorel (Carnegie Textiles)
Guia de Design da ID Magazine
2003 Banco Sonoma (Landscapeforms) 

Brian Kane

Brian Kane teve seu primeiro contato com o mundo do design industrial através de um orientador vocacional no ensino médio. "Ele apontou para a sua cadeira, para o telefone e para o relógio, e disse: ‘Todos eles foram projetados por alguém’”, lembra Kane.

Após ter se formado pela Universidade de Bridgeport, em Connecticut, e passado um ano em Nova York trabalhando com design de equipamentos, Kane e sua esposa foram para Milão, Itália, aonde ele, literalmente, foi batendo de porta em porta. Uma dessas portas foi aberta, pelo arquiteto Silvio Coppola, e mudou a sua vida. "Ver a sua paixão pelo design foi algo que me virou a cabeça", disse Kane, que decidiu que o design de móveis era a área à qual queria se dedicar.

Retornou a Nova York depois de um ano e conseguiu um emprego no Atelier International (AI). Em 1977, ingressou no Metropolitan Furniture Corporation (Metro), tornando-se mais tarde um dos sócios proprietários. No Metro, teve a oportunidade de se envolver na fabricação, outro importante de aprendizado. “É uma tão importante do que fazemos”, explica.

Em 1989, Kane inaugurou o Kane Design Studio em São Francisco, onde se concentrou no que ama acima de tudo: cadeiras. “É tudo uma questão de conforto e inovação”, diz. “Eu sempre tentei explorar materiais e processos e usá-los de forma que adicionem detalhes únicos. Diria que sou minimalista; procuro a simplificação tanto na forma como na fabricação".

Quando desenvolvia a linha Swoop de sofás para salas de estar da Herman Miller, Kane se valeu de sua experiência como professor na Faculdade de Artes da Califórnia, onde observou como os alunos interagiam com os móveis. "Eles não se sentam devidamente em uma cadeira; eles se espreguiçam, deitam, encostam. Com seus iPods e computadores, eles podem estar totalmente sintonizados em um ambiente conturbado, desde que estejam confortáveis.

"Eu tentei responder a esse formato, com curvas 'acentuadas' para que as pessoas pudessem jogar seus braços ou pernas por cima do sofá e ainda se sentirem confortáveis e bem apoiadas", diz ele.

Apesar de Kane ser provavelmente mais conhecido por suas salas e cadeiras de escritório, seus bancos podem ser encontrados em todo o país, de Nova York a São Francisco. "Os membros da minha família sempre me enviam fotos deles sentados nos meus bancos em Nova York", ele ri.

Seus projetos ganharam mais de 80 prêmios e foram expostos no Museu Whitney e Brooklyn, em Nova York, e no Museu de Arte Moderna de São Francisco. Ele diz que está especialmente orgulhoso de ter seus produtos expostos ao lado dos produtos de Charles Eames e George Nelson, nos showrooms da Herman Miller. "Para mim, se melhorar estraga."